• Descrição

    narizA aparência do nariz é responsável por grande parte da harmonia facial, principalmente devido à sua posição no centro da face. Por isso, alterações no seu formato podem gerar desequilíbrios entre as unidades estéticas da face. A cirurgia plástica do nariz, ou Rinoplastia, visa justamente restaurar este equilíbrio estético, sem deixar de lado o aspecto funcional do nariz. Ao longo dos anos, várias técnicas altamente sofisticadas tem sido desenvolvidas para adequar o formato do nariz às características individuais da face de cada paciente.

    Atualmente, o cirurgião pode reduzir ou aumentar o tamanho do nariz, alterar a forma da ponta e do dorso, diminuir o tamanho das narinas, refinar a ponta e alterar o ângulo entre o nariz e o lábio superior. A cirurgia de nariz ou rinoplastia também pode ser realizada para corrigir defeitos já presentes ao nascimento, seqüelas de traumatismos ou rinoplastias prévias, assim como problemas respiratórios crônicos.

    A estrutura do nariz é muito complexa incluindo, numa área relativamente pequena, cartilagens de diversos formatos e espessuras, ossos, músculos, mucosa, gordura, pele, diversos sulcos, contornos, irregularidades, depressões, ângulos, etc. Varia intensamente de acordo com a raça, sexo, idade, carga hormonal, constituição óssea da face, tipo de pele, etc. Desta forma, pode-se entender a complexidade e a delicadeza desta cirurgia, assim como as limitações técnicas que às vezes são impostas.

    Além da anatomia nasal ser muito variável, as queixas e expectativas dos pacientes são complexas já que, sendo a estrutura mais central e proeminente da face, o nariz se apresenta como um marco da fisionomia humana, trazendo um contexto muito mais amplo, sendo alvo não só de frequentes insatisfações em relação à estética facial, como também de limitações psico-sociais importantes, como sensações de inferioridade e baixa auto-estima.

    Dessa forma, as considerações dos pacientes devem ser analisadas em profundidade, ponderando as necessidades e reais possibilidades de cada caso e assim planejando quais modificações serão necessárias sobre a estrutura ósteo-cartilaginosa nasal: dorso, ponta, asas, columela, septo, etc, para se obter um resultado satisfatório.

    Em determinados casos, a modelagem do nariz exige técnicas reconstrutivas, como o uso de enxertos de cartilagem (retirados geralmente do septo nasal ou das orelhas), de ossos ou confecção de pequenos retalhos muco-cutâneos. É importante a observação de alterações funcionais associadas, como dificuldades para respirar, rinites crônicas, coriza, sinusites, etc. Estas podem ser decorrentes de deformidades anatômicas que devem ser corrigidas.

    Para se submeter à remodelagem nasal é necessário ter, ao menos, 16 anos, visto que este procedimento só deve ser indicado quando o nariz tiver atingido o seu completo desenvolvimento.

  • Cirurgia

    O tipo de anestesia empregada fica a critério da equipe de anestesistas, na dependência da avaliação de cada caso, podendo ser realizada sob anestesia local com sedação ou sob anestesia geral. O tempo da cirurgia pode variar dependendo da extensão do tratamento proposto e das características individuais de cada paciente, durando em média de 2 a 4 horas.

    Existem dois tipos de abordagem cirúrgica nas rinoplastias, que diferem basicamente pela forma de acesso às estruturas internas do nariz. Na chamada endo-rinoplastia ou rinoplastia fechada, o acesso às estruturas nasais se dá através de pequenas incisões no interior das narinas bilateralmente, por onde o cirurgião, dispondo de instrumentos apropriados, remodela as subunidades nasais, removendo ou acrescentando osso, cartilagem e tecido afim de obter o resultado desejado. Essa abordagem não resulta em cicatrizes externas.

    Na chamada exo-rinoplastia ou rinoplastia aberta, o acesso às estruturas nasais se dá através de pequenas incisões no interior das narinas bilateralmente, que se comunicam, externamente, por uma cicatriz na columela (barra de tecido entre as narinas), possibilitando que o retalho de pele e gordura nasal seja todo descolado e mobilizado, proporcionando uma visibilidade ampla de todas as estruturas internas do nariz. As cicatrizes resultantes ficam bastante disfarçadas, e a porção externa localizada transversalmente na columela, na maioria dos casos, fica quase imperceptível.

    A indicação da técnica dependerá das particularidades de cada caso, como alterações anatômicas, cirurgias prévias e preferência da equipe e do paciente, porém ambas são capazes de produzir resultados excelentes. Uma osteotomia (fratura cirúrgica) com reposicionamento do osso pode ser necessário para remodelar o dorso nasal.

    O curativo é feito com esparadrapo microporoso. Pode ser necessário o uso de tampões, splints e moldes, no pós-operatório imediato, visando controle do sangramento, sustentação, estabilização e imobilização das estruturas, conferindo o repouso necessário à acomodação dos tecidos durante a cicatrização.

  • Recuperação

    O paciente deve permanecer em repouso absoluto por cerca de 48 horas. Tampões nasais, quando necessários, são retirados geralmente após 24 a 48 horas. Splints e moldes podem ser necessários no pós-operatório, sendo retirados geralmente após o 7º dia. Após retirada dos moldes, novo curativo com micropore é realizado, visando controle do edema (inchaço), proteção e manutenção da forma nasal, sendo seu tempo de utilização variável.

    A maioria dos pacientes retorna às suas atividades laborativas em aproximadamente 7 dias e às atividades físicas em tono de 30 dias, dependendo do tipo de trabalho, do tipo de atividade física e da evolução pós-operatória de cada paciente. As incisões na parte interna do nariz são, em geral, fechadas com fios absorvíveis. Pontos não reabsorvíveis começam a ser removidos em média após o 7º dia.

    As cicatrizes resultantes ficam bastante disfarçadas e quase imperceptíveis, uma vez que as incisões são feitas na parte interna ou nos sulcos do nariz. Embora a maior parte do edema desapareça em poucas semanas, ele pode persistir por alguns meses. À medida que inicia a cicatrização e o edema no rosto diminui, você irá perceber os efeitos do procedimento de remodelagem nasal. Entretanto, como outros procedimentos cirúrgicos, pode levar até um ano para se obter o resultado final.