• Descrição

    abdomeAbdominoplastia é o nome dado à cirurgia plástica do abdome. Em geral, fatores como gestações múltiplas, genética e perda ponderal substancial contribuem para o desenvolvimento de frouxidão na pele, depósitos de gordura e distensão da musculatura abdominal, resultando em um contorno abdominal abaulado e desproporcional em relação ao resto do corpo, afetando a auto-estima e gerando insatisfação.

    Infelizmente, para alguns pacientes uma dieta saudável e exercícios regulares podem não ser suficientes para eliminar os acúmulos de gordura e flacidez de pele adquiridos ao longo dos anos. Em alguns casos, a flacidez de pele é tão significativa que um procedimento menos invasivo como a lipoaspiração (quando há gordura localizada sem flacidez de pele associada) não atingiria um resultado estético satisfatório se empregado isoladamente. Para estes pacientes, a cirurgia do abdome, ou abdominoplastia, está indicada, visando reconstruir a anatomia local e melhorar o contorno do abdome, através da remoção dos excessos de pele, gordura e do reforço da musculatura da parede abdominal, restabelecendo a aparência de um abdome firme e plano.

    Por se tratar de uma cirurgia de contorno, a abdominoplastia muitas vezes é associada à lipoaspiração (lipoabdominoplastia), que pode ser extendida à região dos flancos, dorso e outras áreas de necessidade, para obter a melhor harmonia deste segmento corporal.

  • Cirurgia

    O tipo de anestesia empregada fica a critério da equipe de anestesista, podendo ser realizada sob anestesia peridural com sedação ou sob anestesia geral. A cirurgia do abdome é normalmente realizada através de uma incisão transversal logo acima dos pêlos pubianos. O tamanho da incisão depende da quantidade de pele a ser removida e normalmente continua até o próximo dos quadris, curvando-se levemente para cima. Em geral, procura-se posicionar a incisão de forma que a cicatriz resultante fique escondida pelas roupas íntimas dos biquínis.

    Através dessa incisão, o cirurgião corrige a frouxidão da musculatura da parede e remove os excessos de pele e gordura da parte inferior do abdome. Em pacientes com grandes excessos de pele, uma segunda incisão deve ser realizada ao redor do umbigo. Feito isso, os excessos de pele na metade superior do abdome são separados dos tecidos profundos para que a pele possa ser deslocada inferiormente antes de ser removida. O umbigo é, então, recolocado na sua posição normal. As estrias localizadas abaixo do umbigo, muito comum nestes pacientes, são removidas junto com os excessos de pele. Infelizmente, estrias localizadas acima do umbigo não podem ser eliminadas usando esta técnica.

  • Recuperação

    O paciente deve permanecer em repouso absoluto por cerca de 5 a 7 dias, evitando retificar completamente o corpo neste período. Após a primeira semana, recomendamos repouso relativo por mais 3 semanas. A maioria dos pacientes retorna às suas atividades laborativas em aproximadamente 10 a 14 dias e às atividades físicas em tono de 30 a 60 dias, dependendo do tipo de trabalho, do tipo de atividade física e da evolução pós-operatória de cada paciente.

    Deve-se utilizar malhas de compressão elástica por um período de 30 a 60 dias visando maximizar a aderência dos tecidos e acelerar a reabsorção do edema (inchaço) e remodelação corporal. Sessões de drenagem linfática devem ser iniciadas tão logo o paciente tolere a realização do procedimento.

    Novas gestações, ganho ou perda ponderal substancial podem comprometer o resultado da cirurgia, enquanto, uma dieta adequada bem como a realização de atividade física ajudam na manutenção do resultado a longo prazo.